adesivo anticoncepcional

Como usar o adesivo anticoncepcional

Atualmente, não faltam opções para aqueles que desejam evitar a gravidez. São inúmeros os métodos contraceptivos adequados à rotina e ao organismo da mulher, que está sempre em busca de algo mais seguro e menos invasivo.

O mais icônico de todos é a pílula anticoncepcional, que trouxe uma verdadeira revolução dos costumes e proporcionou liberdade à mulher, que pode controlar seu próprio corpo decidindo quando, ou ainda se quer ou não, engravidar. Como a ciência está em constante evolução, diversos outros métodos contraceptivos foram surgindo com o passar do tempo, e neste artigo iremos discorrer um pouco sobre os adesivos anticoncepcionais. Uma maneira eficaz, não invasiva e mais segura para quem esquece da pílula.

Anticoncepcional, sempre revolucionário

Antes de avançarmos, é preciso entender um pouco sobre os métodos contraceptivos. Vamos dividir os contraceptivos em cinco tipos:

  • Métodos de barreira.
  • Métodos hormonais.
  • Métodos intrauterinos.
  • Métodos permanentes.
  • Métodos alternativos.

Os métodos de barreira são aqueles que, através de uma barreira física (ou química, no caso do espermicida), impedem o espermatozoide de chegar ao óvulo. Alguns exemplos de métodos de barreira são: camisinha (masculina ou feminina) e diafragma. O DIU (Dispositivo IntraUterino) é um pequeno dispositivo implantado dentro do útero da mulher, e pode ser de duas maneiras: hormonal ou não. Entre os métodos permanentes podemos citar a laqueadura e a vasectomia, e entre os alternativos, estão a tabelinha e o coito interrompido.

 

O foco deste artigo, porém, está em um dos métodos hormonais de prevenção à gravidez. O mais comum dos métodos hormonais é a pílula, porém, ela não é a única maneira de fazer com que os hormônios se alterem, impedindo a ovulação. A maior dificuldade da pílula, para os usuários é inserí-la na rotina diária, afinal, o esquecimento de um dia, pode ser “fatal”.

Foi pensando nisso, que outros formatos de contracepção foram surgindo, como as injeções, os implantes e o adesivo anticoncepcional.

O adesivo, particularmente, possui benefícios extras, quando comparados à pílula, como melhor tolerância gástrica e menor interação metabólica , além de diminuir também os riscos de câncer no ovário.

O adesivo anticoncepcional possui dois tipos de hormônios, o etinilestradiol e o norelgestromina – que, além de inibir a ovulação, também torna o muco cervical mais espesso e hostil aos espermatozoides.

O muco cervical é produzido pelo colo do útero, exatamente para facilitar a vinda dos espermatozoides rumo aos óvulos. Com o adesivo há muito mais obstáculos para que eles cheguem. Ele também age no endométrio, tornando-o não receptivo à implantação, fazendo com que ele fique atrófico.

Como utilizar o adesivo anticoncepcional

O adesivo anticoncepcional é indicado para mulheres que não apresentam contra-indicações de métodos hormonais combinados de progestogênio e estrogênio, que possuem a mesma resposta dos orais. Também não é indicado para pessoas muito acima do peso.

Também conhecido como patch, ele é aderente para ser colado na pele por uma semana. Recomenda-se que seja posto nos braços, abaixo da barriga, nádegas e costas, sempre com possibilidade de visualização de sua integridade pelo período proposto. Não coloque ao redor das mamas, já que a absorção dos hormônios na região pode causar dores. A embalagem do produto vem com três unidades, que devem ser trocadas consecutivamente por três semanas, iniciando no primeiro dia de menstruação e com uma de pausa de sete dias, na última semana.

Caso o adesivo saia no primeiro dia de uso, ele pode ser recolocado novamente, mas se passar de 24 horas o mais indicado é trocar por um novo. Se houver atraso de até dois dias na recolocação de um novo adesivo, ainda há proteção contraceptiva. Acima desse período já aumenta o risco de engravidar.

O adesivo possui poucos efeitos colaterais, se resumindo a cólicas menstruais leves e dores de cabeça. Para evitar outros sintomas, procure sempre indicação do médico, que vai oferecer um método mais adequado ao seu organismo.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como ginecologista em Patrocínio e Patos de Minas.

Comentários

Posted by Dr. Rodrigo Tavares