Laparoscopia Ginecológica

Laparoscopia ginecológica – O que é ?

Hoje em dia, quando uma mulher precisa realizar uma cirurgia ginecológica, é muito provável que ela passe por um procedimento de laparoscopia ginecológica. Considerada uma técnica moderna, segura e que proporciona uma rápida recuperação à paciente, esse tipo de procedimento cirúrgico utiliza a imagem como tecnologia que permite realizar diagnósticos ricos em detalhes e também o tratamento de diversas doenças.

Minimamente invasiva, a técnica consiste na introdução de uma ótica no interior do útero, sem que sejam necessários outros cortes maiores, apenas pequenas incisões, em geral na virilha e no umbigo. Com a microcâmera acoplada o cirurgião pode ter uma visão ampla do interior e avaliar como estão os órgãos internos e qual o melhor procedimento a ser feito.

Como funciona a laparoscopia ginecológica

A laparoscopia é um nome mais simples para a videolaparoscopia, que, na ginecologia, começou a ser utilizada para auxiliar na identificação da endometriose. Mas logo ganhou espaço e se tornou um poderoso aliado na investigação de várias doenças e no tratamento menos agressivo e doloroso dos problemas ginecológicos. Hoje muitos procedimentos cirúrgicos ginecológicos podem ser feitos através deste método.

Para a cirurgia é necessária anestesia geral, muitas vezes combinada com anestesia local, para que sejam feitas as pequenas incisões estratégicas, permitindo que os instrumentos possam entrar. Ela proporciona imagens nítidas do local a ser investigado ou corrigido e utiliza a tecnologia óptica, cada vez mais fina e delicada, para maior liberdade de ação na cirurgia.

São raras as complicações decorrentes do procedimento e a cicatrização dos cortes é mais rápida, deixando o mínimo de marcas. Também pelo tamanho do corte, o risco de infecções é muito menor, e a recuperação se dá com muito mais conforto para a mulher, sem a necessidade do uso de muitos remédios.

Quando a laparoscopia deve ser usada

Atualmente a laparoscopia ginecológica é amplamente utilizada, principalmente para o tratamento dos seguintes problemas:

  • Endometriose: no início, a laparoscopia começou a ser usada para ressecar e cauterizar os focos de endometriose na pelve ou realizar biópsias de orgãos afetados pela doença.
  • Mioma uterino: o mioma é um tumor benigno crescendo no útero, muito frequente. Pela  laparoscopia ginecológica pode ser retirado quando o tratamento clínico não for bem-sucedido e houver predileção pela manutenção do orgão.
  • Cisto ovariano: as bolsas líquidas alojadas nos ovários podem ser benignas ou malignas e causam diversos problemas para o ciclo menstrual e até para a fertilidade feminina. Também podem ser câncer no ovário e na laparoscopia é possível identificar seus tamanhos e tipos.
  • Doenças inflamatórias: a laparoscopia ginecológica pode identificar inflamações na região e o motivo para determinadas dores.
  • Câncer ginecológico: com a laparoscopia é possível realizar uma biópsia da região para identificar o tipo de tumor presente. Também pode ser realizada cirurgia para tratar o câncer uterino e do endométrio.
  • Gestação ectópica: é a gravidez fora do útero , muito perigosa, para a mulher e o mais comum é que ela aconteça na tuba uterina.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como ginecologista em Patrocínio e Patos de Minas.

 

Comentários

Posted by Dr. Rodrigo Tavares